Buscar
  • Buddy Bear Digital

Orkut vai voltar? Fundador reativa site e promete nova rede social "sem ódio"

Ao anunciar novos planos, Orkut Buyukkokten ainda deu uma "leve provocada" em seus rivais contemporâneos

Dois dias depois da compra do Twitter pelo bilionário Elon Musk, o engenheiro turco Orkut Buyukkokten reativou o domínio de sua rede social homônima, que foi um sucesso nos anos 2000, e promete uma nova plataforma "sem ódio".


Em um comunicado publicado no site, escrito em inglês e em português, ele ainda provocou os novos "rivais": "Nos dedicamos muito para tornar o orkut.com uma comunidade onde você pudesse conhecer pessoas reais que compartilhavam seus mesmos interesses, não apenas pessoas que curtiram e comentaram em suas fotos."

Orkut Buyukkokten, criador do Orkut e da hello (Foto: Divulgação/hello)


Coincidentemente (ou não), o comunicado foi divulgado poucos dias após a compra do Twitter por Musk, que gerou uma onda de críticas na internet. Muitas pessoas questionam o que o bilionário quer dizer com a defesa da "liberdade de expressão" e "nova moderação de conteúdo".


"O mundo precisa de gentileza agora mais do que nunca. Há tanto ódio online nos dias de hoje, e nossas opções para encontrar e construir conexões reais são poucas e bem escassas", diz Buyukkokten, no texto.


No próprio comunicado, o fundador conta que desenvolveu a plataforma quando ainda era um engenheiro de software no Google, e que em poucos anos acumulou mais de 300 milhões de usuários.


No ano de 2019, o engenheiro contou que não esperava o sucesso da rede social. Ele desenvolveu a plataforma e a hospedou em um servidor capaz de receber até 200 mil contas. Dias depois, afastou-se para uma cirurgia e, quando voltou, "vieram milhões de pessoas". "Ganhar escala virou um enorme problema. Levamos quase um ano para reescrever a programação inteira do sistema", contou ele.


Sigam-nos das redes sociais, traremos novidades tão logo elas sejam anunciadas pela plataforma do Orkut.

17 visualizações0 comentário